Subir morro sempre foi o pavor dos ciclistas! Mas, depois de muitos treinos, os morros acabam sendo uma diversão a mais! No entanto, existem algumas técnicas que poderão facilitar as subidas, mesmo mais íngremes ou extensas.

 

 

O primeiro passo, é “organizar” sua respiração. Respire de forma relaxada, tranquila, e sempre enchendo os pulmões. Dê preferência pela entrada de ar pelo nariz para não secar a boca. A saída de ar sim, pela boca, e na medida do possível, esvaziando bem os pulmões. Respirar rápido, será normal a medida que o “cansaço” vai surgindo. Caso você tente modificar este processo, poderá até sofrer vômitos, tonturas e ainda mais cansaço muscular. O corpo necessita oxigenar e purificar o sangue e o “respirar rápido” está relacionado a quantidade de sangue que o coração precisa bombear para manter essa oxigenação.

Se as subidas forem curtas, tente aproveitar a inércia antes dela. Aproveite o plano para acelerar e não se cansar na subida. Se necessário, levante do selim para mudar o grupo muscular trabalhado. Nas subidas mais longas, não recomenda-se levantar do selim. Além de cansar mais de pé (pois você dispensará mais força no pedal)opte sempre que possível por deixar a suspensão rígida para que o afundamento dela não “roube sua força”. Em terrenos de chão, pedras ou trilhas, pedalar de pé ainda poderá fazer você perder a pedalada ao "patinar" o pneu traseiro. Existem técnicas para inclinar a bike ao lado oposto da pedalada ou ainda usar o peso do corpo para empurrar o pedal para baixo. Mas exige treino. Nestas subidas mais extensas, mantenha o meio termo no giro do pedal, cerca de uma volta e meia por segundo. Se você girar o pedal muito rápido, ficará ofegante e muito devagar irá fazer muita força. Não comece as subidas extensas dispensando toda sua capacidade física. Poupe-se! Aumente o ritmo à medida que você for subindo.

Ainda, caso a subida seja muito íngreme, a inércia também poderá ser um fator positivo caso você faça “zigue-zague” no morro. Desça um pequeno trecho para embalar e subir na sequência.

Sua postura e altura correta do selim também são fundamentais. Quando você estiver sentado no banco da bike com a planta do pé no pedal, sua perna deverá ficar levemente flexionada, ou seja, nem tão dobrada nem toda espichada. Para fazer o ajuste, a grosso modo, coloque o calcanhar no pedal e desça o mesmo até o ponto mais baixo. Sua perna deverá ficar totalmente espichada – reta para baixo. A perna flexionada fará com que você faça força no joelho, o que não é nada bom. A perna reta demais fará com que você fique rebolando no banco, o que aumentará a chance de assaduras e lesões na região da virilha, além de dores na parte posterior do joelho.

Por fim, o treino é fundamental para fazer você gostar da subida. À medida que você vai se superando, as subidas ficarão muito mais agradáveis. Em tempo, cuide da sua alimentação. Vinte minutos antes da pedalada são fundamentais para que o corpo faça a absorção dos nutrientes. Para saber mais, leia o artigo sobre a Alimentação para o Ciclista.

 

Gostou dessa dica do Bike do Sul, compartilhe com seus amigos da bike e bons pedais!